Menu
Endometriose e miomas: qual a diferença?

Endometriose e miomas: qual a diferença?

por Dr. Luíz Flávio Cordeiro

Sendo um dos órgãos que compõem o sistema reprodutor feminino, o útero é importante na fertilidade feminina. Quando a mulher sofre com doenças ginecológicas, o funcionamento desse órgão pode ser afetado, causando consequências no dia a dia da paciente.

Endometriose e miomas são duas das doenças ginecológicas que podem alterar a anatomia e o funcionamento do útero.

A endometriose, por exemplo, é uma doença que acomete ao menos 70 milhões de mulheres mundialmente, sendo de extrema relevância artigos que abordem o tema.

Já os miomas uterinos fazem-se presentes em 20% a 40% das mulheres em idade reprodutiva. Ambas as doenças podem ter consequências para o bem-estar e a autoestima da mulher.

Por isso, é importante entender quais são as semelhanças e diferentes entre endometriose e miomas, quais as formas de diagnóstico e tratamento e como é possível identificar tais doenças a partir de seus sintomas. Leia o texto e veja!

O que é endometriose?

A parede uterina é revestida por um tecido chamado endométrio. Esse tecido tem a função de facilitar a implantação do embrião no útero para que a gestação comece. Uma de suas características é o espessamento que sofre devido à ação de hormônios.

A endometriose se caracteriza pela presença do tecido endometrial fora da cavidade uterina. Esse tecido pode ser encontrado do lado de fora do útero, em outros órgãos do sistema reprodutor ou em outros órgãos do corpo.

Há tipos diferentes de endometriose, classificadas de acordo com a gravidade e a localização do tecido endometrial.

O tecido endometrial ectópico preserva sua suscetibilidade à ação hormonal, o que significa dizer que ele sofre a ação hormonal normalmente, podendo aumentar sua espessura e levar a alterações nos órgãos nos quais se encontra.

O que são miomas?

Miomas uterinos são massas formadas por meio da multiplicação das células do miométrio. O útero é formado por três camadas, sendo o miométrio a camada intermediária.

Essa camada muscular pode sofrer com a multiplicação desenfreada de suas células, que leva à formação de massas que caracterizam tumores benignos, os miomas, que são classificados de acordo com sua localização e a forma com a qual se ligam ao útero da paciente.

Os miomas podem ser dependentes do estrogênio, hormônio produzido nos ovários que pode levar ao crescimento desses tumores, fazendo com que aumentem significativamente de tamanho.

Por serem dependentes de um hormônio ligado ao ciclo reprodutivo e à idade fértil da mulher, esses tumores tendem a regredir após a menopausa.

Quais são os sintomas de endometriose e miomas?

Ambas as doenças podem ser assintomáticas, embora seja mais comum a manifestação de sintomas. Pode-se apontar como diferença entre ambas o fato de que, no caso da endometriose, o tecido endometrial migra para fora do útero, atingindo outros órgãos e causando inflamações.

No caso dos miomas, a multiplicação do miométrio e o consequente aparecimento de tumores pode afetar os órgãos ao redor, causando alterações.

A endometriose também pode manifestar sintomas como dor durante as relações sexuais e dores pélvicas, a depender da localização do tecido endometrial.

Um dos sintomas dos miomas uterinos é o aumento do fluxo menstrual, podendo apresentar ciclos hipermenorrágicos. Pacientes acometidas com esses tumores também relatam sentir dores pélvicas e abdominais.

Fundamental enfatizar que, diferente dos miomas, a endometriose, por si só, não altera o ciclo, tampouco o volume do fluxo menstrual.

Em ambos os casos, os sintomas estão conectados à localização da doença. É importante ressaltar também que ambas podem apresentar como sintoma a infertilidade.

Exames e diagnóstico da endometriose e dos miomas

O diagnóstico de ambas as doenças, endometriose e miomas, depende da análise clínica realizada pelo médico. Com base nos sintomas relatados pela paciente, o profissional pode direcionar suas suspeitas e solicitar a realização de exames que possam confirmar o diagnóstico.

A ultrassonografia especializada é um exame que pode ser realizado para diagnóstico tanto de endometriose como de miomas, uma vez que essa técnica permite a visualização detalhada da cavidade pélvica.

Dessa forma, torna-se possível analisar a anatomia do útero e dos órgãos afetados pelo tecido endometrial ou pelos miomas uterinos.

Por isso, é importante consultar-se regularmente com um médico ginecologista, de forma a possibilitar que o diagnóstico dessas doenças seja feito o quanto antes e impedir sua evolução.

Tratamento de endometriose e miomas

O tratamento tanto de endometriose como de miomas depende de quão afetados foram o útero e os órgãos atingidos. Ele deve levar também em consideração a possibilidade de diagnóstico de infertilidade, a fim de reverter tal quadro.

A endometriose pode ser tratada por meio da administração de medicamentos hormonais, analgésicos ou anti-inflamatórios. Casos mais sérios podem exigir que sejam realizadas cirurgias específicas para seu tratamento, buscando preservar a fertilidade feminina e remover os focos da doença afetando o menos possível os órgãos atingidos.

O tratamento dos miomas pode ser feito utilizando-se opções terapêuticas, assim como na endometriose e também apresentam como vantagem reduzir a morbidade pós-operatória, quando o procedimento cirúrgico é indicado, e os efeitos que uma cirurgia pode ter em uma futura gravidez.

Mulheres que não manifestam sintomas podem realizar apenas acompanhamento médico a fim de verificar a possível evolução dos miomas. O principal objetivo do tratamento é aliviar os sintomas.

Endometriose e miomas são doenças que podem afetar o sistema reprodutor feminino e, dependendo de seus sintomas, afetar a saúde e o bem-estar da mulher, prejudicando até mesmo a realização de tarefas diárias e rotineiras. Saiba mais em nosso texto institucional.

 

Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de
Acesse o nosso último post Puerpério e seus sintomas
Pré-agende sua consulta agora! Clique aqui