Menu

Recanalização tubária

por Dr. Luíz Flávio Cordeiro

Recanalização tubária

As tubas uterinas ou trompas de Falópio (termo mais antigo) são órgãos fundamentais para a fertilidade feminina. Elas ligam os ovários, que produzem os óvulos, ao útero, onde ocorre a gestação. É nas tubas uterinas que ocorre a fecundação do óvulo pelo espermatozoide, dando origem ao embrião, que migra para o útero e se implanta no endométrio para dar início à gravidez.

Por alguns fatores, as tubas uterinas podem ser obstruídas, prejudicando a fertilidade feminina e a saúde da mulher como um todo. Dependendo das causas da obstrução, a condição pode ser grave e demandar tratamento radical, como no caso da endometriose.

Causas da obstrução tubária:

A laqueadura é a principal causa de obstrução das tubas uterinas. Trata-se de uma cirurgia realizada para induzir a obstrução em mulheres que não querem mais ter filhos. Em muitos casos, a paciente se arrepende e quer reverter o procedimento.

Se quiser saber mais sobre a reversão da laqueadura, elaboramos um texto específico sobre esse assunto. Leia aqui.

A recanalização tubária consiste na desobstrução das tubas uterinas ou trompas de Falópio (termo mais antigo). No entanto, dependendo das causas da obstrução, a mulher precisa passar por tratamento. Se, por exemplo, a mulher tiver diagnóstico de endometriose, a doença deve ser tratada.

Também é importante avaliar o planejamento da paciente. Se ela tiver o objetivo de engravidar, a avaliação deve ser específica e a conduta terapêutica considerar esse desejo.

Diagnóstico

A obstrução das tubas uterinas é identificada na histerossalpingografia, exame específico para avaliação da permeabilidade das tubas uterinas e da cavidade uterina. Caso a obstrução seja diagnosticada, deve-se realizar uma investigação detalhada da condição para a indicação do melhor tratamento e, se necessário, procedimento cirúrgico.

As doenças que podem provocar a obstrução devem ser tratadas individualmente com base na avaliação da paciente.

Indicações

A recanalização tubária está indicada para mulheres que queiram recuperar a fertilidade e tenham diagnóstico de obstrução das tubas uterinas. No entanto, o médico avalia cada caso individualmente para indicar a melhor conduta terapêutica.

Em casos de doenças, o tratamento deve ser realizado, independentemente de a mulher ter o desejo de engravidar.

Como é feito o procedimento

A recanalização tubária é feita por um radiologista intervencionista, profissional especializado em diagnóstico por imagem e intervenções que não necessitem de cortes cirúrgicos ou microcâmera, como é o caso da videolaparoscopia. O intervencionista utiliza, geralmente, agulhas ou cateteres e métodos de imagem para guiar os procedimentos.

Na recanalização tubária, o profissional utiliza um espéculo para facilitar o acesso à região pélvica feminina. Na sequência, aplica uma substância anestésica no colo do útero para evitar a dor.

Então injeta um contraste para melhorar a visualização ao raio-X e introduz um cateter pelo colo do útero até as tubas uterinas, passando pela cavidade do útero.

O próximo passo é introduzir uma microguia e um cateter até as tubas uterinas obstruídas e remover o que possa estar causando a obstrução.

A mulher retoma suas atividades diárias rapidamente após a cirurgia e não são necessários cuidados especiais. De qualquer forma, o médico é o profissional que pode fazer as corretas recomendações, de acordo com o caso.

Compartilhar

Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de
Acesse o nosso último post Pólipos endometriais: conheça os sintomas
Pré-agende sua consulta agora! Clique aqui