Dr. Luiz Flávio | WhatsApp
Menu
O que é curetagem?

O que é curetagem?

Dr. Luiz Flávio

A curetagem da cavidade uterina é um procedimento muito importante para garantir a saúde da mulher. Por ser indicada diante de algumas complicações de abortamentos, é comum que a abordagem desse assunto seja muito delicada para as pacientes. No entanto, ela também pode ser executada para o tratamento de outras condições ginecológicas, como os pólipos uterinos.

O termo vem da palavra em francês para colher. Isso se deve ao formato do instrumento utilizado na raspagem dos tecidos. Outras áreas da saúde utilizam a curetagem em estruturas como a gengiva e os ossos. Quer saber mais sobre o assunto? Acompanhe o texto!

Como é feita a curetagem?

O procedimento é feito através do colo uterino, o médico utiliza um instrumento em forma de colher, a cureta. Ela é semelhante ao objeto que temos em nossas casas, mas com uma haste mais longa e uma concavidade menor e mais arredondada para reduzir os riscos de lesão do colo.

Preparação para a curetagem

Exceto em casos raros, quando precisa ser feita na emergência, a mulher deve se preparar para o procedimento. Afinal, é necessária a aplicação de sedação e anestesia. Então, recomenda-se:

  • evitar a ingestão de líquidos ou alimentos algumas horas antes da cirurgia;
  • fazer uma avaliação física e laboratorial focada para identificar os riscos do procedimento e da anestesia;
  • encontrar uma pessoa de confiança para acompanhá-la e levá-la para casa depois do procedimento, pois o suporte físico e emocional pode ser necessário. 

Diante de casos de abortamento incompleto, em que há dilatação espontânea suficiente do colo, nenhuma preparação adicional é preconizada de forma geral. No entanto, em abortamentos retidos ou no tratamento de doenças ginecológicas, será preciso visitar o seu médico no dia anterior. Assim, ele poderá aplicar medicamentos tópicos para estimular a abertura do colo do útero.

Anestesia

Podem ser utilizadas as anestesias gerais (com sedação) e regionais (raquidiana ou espinhal). 

Inserção da cureta

Os primeiros passos da curetagem são muito semelhantes aos do exame ginecológico habitual:

inserção de um espéculo para aumentar a abertura do canal vaginal para a visualização do colo do útero;

  • dilatação mecânica do colo com hastes em diâmetros progressivamente maiores;
  • inserção da cureta até a cavidade uterina e raspagem das paredes a fim de descolar o endométrio, anexos embrionários ou o embrião;
  • por fim, ocorre a remoção dos instrumentos.

Recuperação

Por ser um procedimento um pouco mais invasivo, o médico pode pedir para que a paciente fique algum tempo adicional no hospital. Assim, ele poderá identificar rapidamente as complicações agudas e tratá-las.

Recomenda-se que a paciente fique cerca de 2 a 3 dias em repouso doméstico, evitando atividades mais pesadas. Diante do sofrimento psíquico, é importante conversar sobre as emoções com as pessoas em quem ela confia.

É muito importante observar também o surgimento de complicações que demandam um retorno ao médico, especialmente os sinais de infecção e hemorragia:

  • sangramento intenso;
  • secreção fétida;
  • dor forte;
  • febre;
  • calafrios.

Quais as indicações de curetagem?

A curetagem já foi um procedimento muito utilizado na rotina de abortamentos espontâneos ou induzidos. Nos últimos anos, porém, dá-se preferência para a aspiração manual intrauterina (AMIU). 

O procedimento pode também ser realizado para a coleta de material endometrial para biópsias ou para o tratamento de proliferações endometriais benignas. No entanto, essas indicações são cada vez mais raras, pois a histeroscopia é um método muito mais preciso e completo para essas finalidades.

Como ficam as tentativas de engravidar após a curetagem?

Muitas mulheres ficam com receio de que podem ficar inférteis devido à curetagem. 

No entanto, é importante lembrar o contexto no qual esse procedimento é realizado. Dentro de contextos de risco para a saúde, como infecções e hemorragias, um intenso processo inflamatório pode acontecer.

É importantíssimo preveni-los, pois, além de colocarem em risco a integridade física, também podem desencadear complicações que levam à infertilidade (aderências, estenoses e fístulas). 

Mesmo que a mulher tenha passado por uma curetagem, uma boa avaliação médica pode minimizar bastante as repercussões negativas.

Quer saber mais sobre as condutas médicas diante de sintomas e sinais comuns no acompanhamento da saúde da mulher? Então, confira o texto sobre sangramento uterino anormal, SUA!

4.5 2 votes
Article Rating
Se inscrever
Notificação de
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Acesse o nosso último post Endometriose e endométrio: qual a relação?
Pré-agende sua consulta agora! Clique aqui