Menu
Mamografia: o que é e como é feita?

Mamografia: o que é e como é feita?

por Dr. Luíz Flávio Cordeiro

A prevenção é um aspecto importante da medicina e é fundamental para a manutenção da saúde física e mental, especialmente quando trata-se de cuidados ginecológicos. Exames como a mamografia são exemplos da utilização da medicina como forma preventiva.

Além da importância para a saúde física da mulher, as mamas são altamente carregadas de carga simbólica na sociedade humana, sendo, muitas vezes, um dos principais fatores de construção da feminilidade. O cuidado com a saúde dos seios é também, por isso, um cuidado com a saúde mental e com as interações psicossociais das mulheres no mundo todo.

Leia o texto e saiba mais sobre a mamografia, exame fundamental para a saúde das mamas e da mulher como um todo.

O que é mamografia?

Um dos primeiros conselhos dados à mulher, após a entrada na puberdade e a primeira menstruação, é a realização do autoexame das mamas, de forma preventiva. O desconhecimento das mulheres sobre a estrutura anatômica da própria mama, porém, pode gerar falsos alarmes que preocupam mais do que deveriam. Nesse sentido, o melhor exame preventivo para a saúde das mamas continua sendo a realização periódica da mamografia.

A mamografia é um exame que busca produzir imagens detalhadas com alta resolução espacial da estrutura interna da mama para possibilitar bons resultados diagnósticos, normalmente solicitado nas consultas ginecológicas de rotina de mulheres com mais de 35 anos e sendo aconselhável que sua repetição seja anual nas com mais de 40.

Normalmente, a mamografia por si só consegue abarcar a maior parte dos diagnósticos relacionados à saúde das mamas, mas outros exames, como a ultrassonografia e a ressonância magnética das mamas, podem ser solicitado, dependendo do caso.

Como é feita a mamografia?

Esse é um exame que não necessita de ambiente hospitalar, nem anestesia, podendo ser feito tanto em ambiente ambulatorial como em clínicas de radiologia.

Ainda que não sejam necessárias preparações específicas para esse exame, algumas diretrizes podem ajudar a mulher no momento de realizá-lo. É importante avisar o profissional radiologista a presença de próteses de silicone para evitar que isso altere os resultados dos exames e também para que se tenha um maior cuidado no seu manejo.

Prefira não usar cremes, desodorantes ou perfumes na área das mamas antes de fazer o exame, já que também podem interferir na captação das imagens. Também é fundamental avisar o médico sobre quaisquer limitações, inclusive de mobilidade, já que o exame é feito com a mulher em pé. Quanto menos desconfortável for o exame, melhor é a qualidade das imagens. Portanto, durante a mamografia, tente deixar o corpo o mais relaxado possível.

A obtenção das imagens acontece com a mulher em pé. Ela coloca a mama a ser analisada sobre uma das superfícies do mamógrafo e aguarda que a outra superfície, localizada em posição superior à primeira, desça e se aproxime.

A mama deve ficar entre essas superfícies, pois será pressionada por elas, de forma horizontal e vertical, com o objetivo de espalhar ao máximo o tecido mamário, reduzindo as doses de radiações necessárias para obtenção das imagens.

Importante que a mulher permaneça imóvel durante o exame, inclusive segurando a respiração por alguns segundos para evitar interferências que alterem a imagem obtida pelo mamógrafo.

A compressão das mamas é necessária para que todo o tecido mamário possa ser visualizado de maneira mais nítida e até os mínimos detalhes, a fim de encontrar pequenas anormalidades.

Apesar de desconfortável, o procedimento não deve ser doloroso. Quando todo o procedimento é concluído para ambas as mamas, o que leva de 20 a 30 minutos, a mulher ainda deve aguardar para que se confirme a qualidade de todas as imagens.

Quando realizar a mamografia?

A OMS aconselha que a mamografia seja feita como exame de rotina, anualmente, por todas as mulheres com 40 anos ou mais, conjuntamente aos demais exames.

A mamografia pode ser solicitada, porém, também em outras idades, antes dos 40 anos, caso haja suspeita de doença nas mamas, servindo como ferramenta diagnóstica além de preventiva, ou histórico familiar de câncer de mama.

Importante lembrar que a mulher deve se programar para fazer a mamografia fora do período menstrual, quando os seios costumam estar mais intumescidos e sensíveis. Isso diminui as possibilidades de desconforto durante o procedimento. Além disso, é absolutamente desaconselhável que esse exame seja feito em mulheres gestantes ou lactantes e em crianças.

O que pode identificar?

A principal aplicação da mamografia é no auxílio preventivo e diagnóstico do câncer de mama, mas também acusa a existência de estruturas benignas, como nódulos, cistos e calcificações, que podem ou não estar associados à um quadro de carcinoma.

O câncer de mama é a primeira causa de mortalidade de mulheres, no Brasil, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA). Nesse sentido, a mamografia é o método mais efetivo de diagnóstico precoce da doença, na atualidade, já que pode localizar nódulos e tumores em estágio ainda curável.

Importância para a prevenção de doenças

A prevenção e identificação de doenças em seu estágio inicial é um dos fatores mais importantes na busca pela cura. A detecção precoce do câncer de mama pode evitar cerca de 30% das mortes devido a essa condição, hoje a principal causa de morte feminina no Brasil.

A mamografia é um dos principais exames femininos. Leia mais sobre esse exame.

 

 

Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de
Acesse o nosso último post Cardiotocografia: o que é e como é realizada
Pré-agende sua consulta agora! Clique aqui