Dr. Luiz Flávio | WhatsApp
Menu
6 principais sintomas de endometriose

6 principais sintomas de endometriose

Dr. Luiz Flávio

A endometriose é uma das doenças ginecológicas mais associadas à queda na qualidade de vida da mulher, devido aos sintomas que podem ser bem intensos e incômodos. Contudo, os quadros são bem variáveis em termos de sintomatologia — inclusive, há portadoras que são assintomáticas.

Mulheres com sintomas mais fortes podem ter prejuízos na vida funcional e na disposição física e mental. A fim de restaurar o bem-estar geral da paciente, o acompanhamento médico é imprescindível para obter um diagnóstico conclusivo e realizar o tratamento correto.

Para este post, listamos os 6 sintomas mais recorrentes em mulheres com endometriose. Leia com atenção e descubra quais são!

O que é endometriose?

Os casos de endometriose são caracterizados pelo crescimento de tecido semelhante ao do endométrio, fora da cavidade uterina — lembrando que a camada endometrial é a parte interna do útero.

Entre outras teorias, a principal causa possível da endometriose é a menstruação retrógrada. De acordo com esse pressuposto, o problema seria decorrente de fragmentos endometriais que se dispersaram pelos órgãos pélvicos.

Em suma, em todo ciclo feminino, o endométrio se prepara, tornando-se mais espesso, para garantir a fixação do embrião, caso um óvulo seja fecundado. Quando isso não acontece, o tecido se descama e é eliminado pela menstruação. Contudo, fragmentos desse conteúdo podem retornar pelas tubas uterinas e se espalhar pela cavidade pélvica.

A ação do hormônio estrogênio é determinante para o ciclo menstrual e, da mesma forma que influencia as alterações uterinas, também pode ativar o tecido endometrial ectópico, isto é, aquele que se desenvolveu fora do útero. Quando tais células são acionadas em outros órgãos, tem origem um processo inflamatório que pode causar sintomas graves.

Cada mulher com diagnóstico de endometriose pode sentir as manifestações da doença de forma diferente. Trata-se de uma condição complexa, que requer investigação acurada e tratamento individualizado.

Afinal, quais são os sintomas mais comuns de endometriose?

Embora não exista uma sintomatologia invariável, visto que se trata de uma doença multifacetada, podemos apontar como principais sintomas da endometriose os seguintes:

1. Dismenorreia

O termo dismenorreia refere-se às cólicas menstruais, as quais podem se manifestar apenas pelas alterações uterinas naturais do período (dismenorreia primária) ou podem decorrer de lesões (dismenorreia secundária). Na endometriose, essas dores ocorrem antes e durante a menstruação, podendo cessar somente após o término do sangramento.

As cólicas menstruais tendem a ser incapacitantes para algumas portadoras de endometriose, a ponto de prejudicar as atividades rotineiras e necessitar de medicação — com analgésicos e anti-inflamatórios.

Dismenorreia é uma das queixas mais comuns nos consultórios de ginecologia, entretantooutras doenças que acometem os órgãos pélvicos, como miomas, infecções e adenomiose, também causam sintoma semelhante. Portanto, a avaliação clínica é fundamental para o diagnóstico correto.

2. Dispareunia de profundidade

Dispareunia significa dor durante a relação sexual. A condição pode ser superficial(penetração) — com desconforto no canal vaginal — ou de profundidade.

Em algumas mulheres, esse sintoma pode ser bastante intenso, de forma a prejudicar a vida sexual da portadora. Isso porque, além da dor propriamente dita, o medo de sentir dor tende a diminuir a excitação feminina, gerando um ciclo vicioso.

A relação íntima dolorosa e a redução da atividade sexual são impactos negativos da endometriose na qualidade de vida da mulher, podendo ter reflexos na saúde emocional, como baixa autoestima e autocobrança.

3. Dor pélvica crônica

Nos estágios iniciais da endometriose, a dor pélvica pode ocorrer em um padrão cíclico, com manifestações principalmente no período menstrual. O agravamento dos sintomas tende a fazer com que a dores percam sua ciclicidade, transformando-as em uma condição crônica, sendo um sintoma persistente em qualquer fase do ciclo.

Portanto, a dor pélvica crônica pode ser consequência de um diagnóstico tardio de endometriose, ou do tratamento inefetivo da doença em estágio leve. A condição é considerada crônica quando tem duração mínima de seis meses e relatos de manifestações acíclicas ao longo desse período.

4. Alterações intestinais cíclicas

Alterações intestinais no período menstrual são sintomas comuns em casos de endometriose infiltrativa profunda, sugerindo que o intestino, normalmente o reto ou o sigmoide (locais mais comuns de acometimento intestinal por endometriose), foi atingido por implantes de tecido endometrial. Nesses casos, as células ectópicas se infiltram por mais de 5 mm e interferem no funcionamento dos órgãos.

Os principais sintomas envolvendo dificuldades intestinais são:

evacuação dolorosa;
diarreia ou prisão de ventre;
fezes com sangue;
sangramento na área retal.

5. Alterações urinárias cíclicas

Alterações urinárias no período menstrual são sintomas comuns em casos de endometriose infiltrativa profunda, acometendo o compartimento anterior da pelve, sugerindo que a bexiga possa estar envolvida por implantes endometriais. Entretanto, em algumas situações, o acometimento do peritônio vesical pode causar sintomas semelhantes.

Os principais sintomas envolvendo dificuldades urinárias são:

micção dolorosa e com sensação de ardor;
aumento da frequência urinária;
presença de sangue na urina.

6. Infertilidade

Cerca de 40% das mulheres que apresentam endometriose têm quadro de infertilidade e até50% das mulheres que têm infertilidade podem ter endometriose.

Múltiplos fatores podem explicar essa associação, desde anatômicos a imunológicos.A endometriose pode afetar a fertilidade em todos os seus processos, desde a ovulação, passando pela fecundação e nidação (quando o óvulo fecundado se fixa no endométrio).

Se por um lado a endometriose pode provocar dores e incômodos severos, por outro lado existem casos totalmente assintomáticos. Contudo, a ausência de sintomas não significa que a doença seja inofensiva, tais quadros também necessitam de investigação e mapeamento das lesões.

Endometriomas (endometriose ovariana), por exemplo, normalmente não manifestam sintomas enquanto condição isolada, a menos que a portadora também apresente focos da doença infiltrativa profunda em outros órgãos. Sendo assim, a falta de sintomas evidentes, na verdade, representa um obstáculo na busca por diagnóstico e acompanhamento adequados, contribuindo para o agravamento da doença.

Essa é uma condição complexa, portanto é importante que você obtenha mais informações a respeito. Faça isso acompanhando também nosso texto institucional sobre endometriose!

5 1 vote
Article Rating
Se inscrever
Notificação de
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Acesse o nosso último post Endometriose x câncer
Pré-agende sua consulta agora! Clique aqui